sábado, 18 de abril de 2015

Aniversário Kadoshi MC


quarta-feira, 8 de abril de 2015

Gasolina com mais alcool

O brasileiro que anda frustrado com o reajuste nos preços dos combustíveis pode se preparar para mais uma notícia ruim – a “nova” gasolina anunciada pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), que está valendo desde de 16 de março,  com 27% de etanol, vai aumentar o consumo de combustível dos veículos em até 4%. E como não tem esudos sobre como vai afetar os motores movido somente a gasolina a associação dos fabricantes de automóveis (Anfavea) recomenda que os carros a gasolina utilizem a "gasolina premium", cujo percentual de etanol não será alterado por enquanto.  Segundo o engenheiro Francisco Satkunas, da Sociedade dos Engenheiros Automotivos (SAE Brasil), a decisão deve resolver só o problema da indústria do álcool e penalizar o consumidor e ainda segundo Satkunas, com o novo teor da mistura esses veículos poderão apresentar deterioração nos componentes, dificuldades em dar a partida e falhas posteriores. Proprietários de motocicletas também devem enfrentar o mesmo contratempo.

Até agora, a solução encontrada pelo governo é sugerir que esses condutores, donos de motos, importados e veículos antigos, abasteçam com a gasolina premium, que permanece com a porcentagem de 25% de etanol. O problema é que o combustível é ainda mais caro que a gasolina comum. “O consumidor vai ser penalizado novamente. Essa medida vai favorecer um segmento, que é a indústria do álcool, e quem vai pagar a conta novamente é o consumidor”, finalizou o engenheiro.

outra noticia e que a partir de julho, a gasolina comercializada em todo o país vai conter detergente dispersante. Ou seja: terá um mínimo de aditivação. A medida faz parte de uma resolução da ANP (Agência Nacional do Petróleo), que entra em vigor no dia 1º de julho. Embora não implique mudanças tão significativas para os revendedores, toda alteração gera muitas dúvidas durante adequação. Com essa melhoria na qualidade da gasolina brasileira, ainda não está claro se haverá aumento de preço para o consumidor.
 
O fato concreto é que quando a medida entrar em vigor, na bomba, o consumidor continuará tendo duas opções de produto: a Gasolina Comum e a Gasolina Aditivada. 
 
A ANP informou que a mudança virá para atender à evolução tecnológica dos motores e, principalmente, oferecer um produto menos nocivo ao meio ambiente, uma vez que a gasolina vai reduzir as emissões de gases poluentes. Isso se deve à nova composição com menos enxofre.
 
Para os veículos, a medida também deve trazer benefícios. O aditivo dissolve partes de parafina presentes no combustível, ou seja, serve para manter a linha de alimentação limpa - isso inclui peças como bomba, bico injetor, entre outras. Manter o motor limpo impede a perda de pressão das válvulas e ajuda a manter a potência.
 
Principais benefícios da gasolina aditivada
1 – Limpeza - Ajuda a manter limpo o motor do carro. Motor limpo funciona melhor.
2 – Bicos - Mantém limpos os bicos da injeção eletrônica.
3 – Antioxidante - Por ter antioxidantes, a gasolina aditivada conserva mais o combustível.
4 – Melhor queima - Mantendo o motor mais limpo, há melhor queima de combustível na câmara de combustão, o que gera melhor funcionamento do veículo.
5 – Mais limpa - Com menos enxofre, a gasolina polui menos o meio ambiente.

CB 500 X linha 2015

A Honda inicia a comercialização da linha 2015 da aventureira CB 500X, que chega à rede de concessionárias da marca na segunda quinzena de abril em novas tonalidades e grafismos: vermelho perolizado, disponível apenas na versão standard; e a versão ABS nas tonalidades preto fosco ou branco perolizado, esta última com grafismo na carenagem do tanque de combustível inspirado na versão europeia.
A Honda CB 500X vem equipada com motor DOHC (Double Over Head Camshaft), bicilindrico de quatro tempos e 471 cm³, com duplo comando de válvulas no cabeçote, quatro válvulas por cilindro e arrefecimento a líquido. O propulsor desponta com uma potência de 50 cavalos a 8.500 rpm e com torque de 4,55 kgfm a 7.000 rpm.
A linha 2015 da crossover CB 500X  será comercializada nas versões standard e ABS (freio com sistema antitravamento), com preço público sugerido de R$ 24.624 (STD) e R$ 26.198 (ABS). Os valores tem como base o Estado de São Paulo e não incluem despesas com frete e seguro. A garantia é de um ano, sem limite de quilometragem.
Foto: Honda/Divulgação

quinta-feira, 19 de março de 2015

BMW convoca para recall por problema em roda traseira

A BMW iniciou uma campanha de recall que pode atingir 367 mil motocicletas da marca em todo o mundo. O procedimento aplica-se aos modelos das séries R e K produzidos entre novembro de 2003 e abril de 2011. De acordo com a montadora, o flange da roda traseira pode rachar se, durante as revisões periódicas, os parafusos do disco de freio ou as porcas das rodas foram apertados com força superior ao recomendado.
Entre no site da empresa e veja detalhes.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

2015 Yamaha YZF-R1 - We R1 -

A Yamaha divulgou um vídeo da nova versão da superesportiva R1 acelerando no circuito de Sugo, no Japão. No vídeo é possível ouvir o ronco dos quatro cilindros e ter uma noção de como toda a eletrônica vai atuar, já que é a primeira vez que a R1 recebe um pacote eletrônico completo: controle de tração, controle de derrapagens, controle anti-empinadas, câmbio rápido, controle de Largada, freios ABS, sistema de frenagem unificado, além do primeiro sistema de seis eixos, chamado de Inertial Measurement Unit (IMU), já caracterizado para o uso nas motos de rua. Confira!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Capacete e saúde

Equipamento de proteção de uso obrigatório, o capacete pode se transformar em uma incubadora de fungos, bactérias e ácaros que se proliferam em ambientes escuros e úmidos. A grande concentração destes microrganismos pode provocar problemas respiratórios e irritação nos olhos e nas mucosas do nariz e da boca e, em casos extremos, até gerar micro-toxinas cancerígenas.
Tudo é uma questão de higiene. Por isso o capacete deve ser comparado a uma roupa íntima: a gente nunca empresta e deve ser lavado com sabão neutro. Quem quer mais eficiência na limpeza do equipamento ainda pode recorrer a outros recursos, como a higienização por ozônio, por exemplo, que dura cerca de 30 minutos.
A viseira deve ser lavada à mão apenas com água corrente, especialmente se tiver algum tipo de tratamento (antiembaçante, anti-riscos, UV etc). Utilizar sa
bão ou esponjas em sua limpeza pode danificar as propriedades do mesmo. A secagem também deve ser feita à sombra. É recomendado ainda a aplicação de cera protetora automotiva, a mesma utilizada na lataria dos carros. Depois de limpo – seguindo o mesmo procedimento da viseira –, o casco também pode receber uma camada de cera automotiva, que o protegerá das ações do sol.
Fonte: moto.com