sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Denatran aumenta valores de multas em 1º de novembro

Depois de muitas discussões o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) decidiu aumentar os valores das multas por ultrapassagens forçadas e proibidas a partir de 1º novembro. Com essa mudança, quem ultrapassar em local irregular poderá ter que pagar R$ 957 (um aumento de cinco vezes para o valor atual de R$ 191).
A situação ainda piora se a infração se repetir no período de menos de um ano. Aí o valor da multa dobra e chega a R$ 1.914. Em caso de ultrapassagem forçada, a penalidade também chega a quase R$ 2 mil, e o infrator fica sem a carteira por um ano. Já no caso de ser flagrado trafegando pelo acostamento a multa fica em R$ 957.
Para a Polícia Rodoviária Federal, o reajuste nas multas se faz necessário porque que os valores praticados até então eram muito pequenos e com o passar dos anos as autuações para este tipo de infrações já não surtiam mais efeito, seja para educar ou para punir aqueles que cometiam infrações desse tipo. 
Fonte:
Equipe MOTO.com.br

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

VII FÓRUM MINEIRO DA COMSET

Realizado no dia 22 de outubro de 2014 o VII Fórum Mineiro da COMSET, em Juiz de Fora - MG com o tema Trânsito e Cidadania - consciência e mudança de atitudes.
O evento contou com a presença de diversas autoridades Estaduais e Municipais, além dos parceiros da COMSET.
Cinco palestras foram ministradas durante o dia com temas:
1.  Ações da COMSET
2. Lei Seca
3. Plano Regional de Educação e Segurança no Trânsito
4. A mobilidade urbana num cenário de redução dos acidentes de trânsito
5. As manifestações de 2013 e seus impactos no dia-a-dia  da população brasileira. 






A AMO/JF, parceira da CONSET esteve presente fazendo-se representar por integrantes dos Moto Clubes:  Os Aventureiros e Águias de Cristo.
Os temas discutidos trouxeram para os participantes a certeza de continuar a luta para um trânsito mais humano e dessa forma reduzir as mortes em acidentes de trânsito.

HONDA LANÇA SEGUROS PARA MOTOS

A Honda Serviços Financeiros (HSF) lançou um seguro para seus modelos de alta cilindrada. Em parceria com a seguradora BNP Paribas Cardif e a Ituran, o sistema começa pelos modelos recém-lançados CB 650 F e CBR 650 F e será comercializado em São Paulo (capital), região de Campinas, Baixada Santista e Grande Rio de Janeiro, áreas consideradas críticas na incidência de roubos e acidentes.
O custo será fixo de R$ 3.300 com cobertura de 12 meses contra roubo e furto, além de indenização de 80% do valor do bem, de acordo com a tabela Fipe. O seguro não exige análise de perfil e mantém a garantia de fábrica da Honda. A moto receberá ainda um rastreador eletrônico para monitoramento por rádio frequência e a aplicação do sistema de gravação conhecido como vacina Moto Protegida.
A Honda também negociou condições para as demais regiões do Brasil e fechou uma parceria com a SulAmérica Seguros. Para os modelos da nova linha 650cc, será oferecida a cobertura de seguro tradicional, com análise de perfil e sem a utilização de rastreador, por um preço médio Brasil de aproximadamente R$ 2.500.
Leia também:

O rastreador eletrônico conta com

bateria independente, que pode durar até 18 meses, sem a necessidade de manutenção. Já a vacina Moto Protegida grava o número do chassi em 30 pontos estratégicos da motocicleta, o que dificulta a venda das peças roubadas no mercado paralelo. O rastreador não bloqueia o veículo e nem altera qualquer característica elétrica da motocicleta, cujo resgate é de exclusiva responsabilidade da autoridade policial ou equipe de apoio da própria seguradora.

Em caso de sinistro, o primeiro passo a ser dado pelo cliente será entrar em contato com a central compartilhada Cardif/Ituran e, posteriormente, providenciar um boletim de ocorrência (BO) em qualquer autoridade policial ou pela internet. A Ituran irá acompanhar a motocicleta, indicando a sua localização dentro da área de abrangência das antenas de rádio frequência.
fONTE: MOTOMOVIMENTO

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Triumph Tiger Sport


Já algum tempo que alguns fabricantes têm pensado possibilidades e tem investido no desenvolvimento de produtos que alie a pegada esportiva com o conforto das motos todo terreno.
 
A Tiger Sport não é uma legitima BigTrail, tem o estilo, conforto, mas passa longe da terra, especialmente pelas rodas esportivas de 17 polegadas. A imprensa tem denominado esse estilo como “crossover”, igual as SUV´s que passam longe do off-road.
 
Todos devem se lembrar de que a Tiger 1050 desembarcou aqui no Brasil em 2007 e foi comercializada até 2010/2011. Havia dois modelos a STD e SE (equipada com protetores de motor, manetes, malas).
 
Saiu de linha e deixou órfãos até 2013 quando foi relançada na Europa como Tiger Sport com mudanças que a deixaram ainda melhor.
 
A ergonomia da Tiger Sport é muito boa, garupa e piloto bem posicionados, o encaixe das pernas no tanque é perfeito, braços relaxados e botões do punho de excelente acabamento, bem encaixados e de bom tato, todavia, a Triumph precisa repensar no botão de acionamento do pisca alerta que ficou no painel e por incrível que possa parecer é mais útil sua posição no punho do que no painel, aliás, como ocorre na sua concorrente Kawasaki Versys 1000.
 
Explico: Com o nosso Código de Trânsito Brasileiro de 1997 (letra “a”, inciso V, artigo 40), o pisca alerta pode ser utilizado em movimento para advertir outro motorista.  Na motocicleta sua utilização é de suma importância quando adentramos em túnel, ocorrendo ofuscamento pela claridade do dia, para aumentar sua visibilidade e quem vem atrás diminuir a velocidade e naquelas frenagens repentinas que ocorre em rodovias e trechos urbanos, aliás, várias marcas de automóveis já dispõem de sistema que aciona o mecanismo de acordo com a pressão exercida no pedal de freio.
 
O painel oferece boa leitura, mesclando marcador de velocidade digital e rotação do motor analógico, há funções como autonomia em km, média de consumo, consumo instantâneo e, muito útil, autonomia regressiva em km quando entra na reserva, não possui o  marcado de marcha, algo já característico em outros modelos da família Tiger.
 
Na hora de abastecer, outra surpresa, a Tiger Sport bebe pouco para um motor de pouco mais de 1000 cilindradas, com média de 16,8 km/l, ainda em fase de amaciamento.
 
Tiger Sport a R$ 45.990,00  suas concorrentes diretas: Kawasaki Versys 1000 que dispõe de motor 4 cilindros, chassi de alumínio, e eletrônica como controle de tração e modulo de injeção para diminuir a cavalaria a R$ 49.990,00 e Ducati Multistrada, apesar das 200 cilindradas a mais, com chassi em treliça de aço, motor 2 cilindros, muita eletrônica como controle de tração e controle de potência que varia de 100 a 150cv a R$ 59.900,00 (std), ambas com roda dianteira de 17 polegadas.
 Fonte moto.com

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

VII Fórum Mineiro sobre Consciência e mudança de atitudes - COMSET



Para inscrições  é só entrar no site da Comset  

Ninja H2: Vol.11 Track Test


A Kawasaki lançou um novo vídeo da Ninja H2R, agora com uma performance na pista. Apresentado como conceito no Salão de Colônia, na Alemanha, o modelo, com 300 cavalos de potência, servirá como base para o lançamento da nova moto da montadora, a Ninja H2. O lançamento da H2 está prometido para o salão de motos de Milão, na Itália, em novembro.






terça-feira, 7 de outubro de 2014

Suzuki modelos lançados na Alemanha



A Suzuki acaba de apresentar cinco modelos no Intermot, Salão de Motos de Colônia, na Alemanha. Com design agressivo, derivado da família GSR, a big naked GSX-S1000 tem motor tetracilíndrico de 999 cm³. 

A Suzuki ainda não confirmou números de desempenho, mas, segundo o material de divulgação da marca, trata-se de uma versão do propulsor que equipa a superesportiva GSX-R 1000 retrabalhado para oferecer mais torque em baixos e médios regimes de rotação. 

Como já acontece na família Bandit, a Suzuki também revelou uma sport-touring feita sobre a mesma base da naked, só que com carenagem integral. O modelo foi batizado de GSX-S1000F.




Outra novidade da marca japonesa na Alemanha é a V-Strom 650XT, cujo visual mais aventureiro mescla elementos da atual bigtrail média com traços aventureiros da sua irmã maior, como o “bico” dianteiro sobre o para-lama. As rodas raiadas denotam uma proposta mais favorável para sair do asfalto. 

O propulsor, entretanto, continua sendo o mesmo bicilíndrico em “V” de 645 cm³. Completam o pacote de inovações da Suzuki o scooter Address de, com motor monocilíndrico de 113 cm³ e uma nova versão da semi-carenada Bandit 1250 S, que passou por um facelift e recebeu freios ABS. Com exceção do Address, a Suzuki do Brasil já confirmou a chegada ao País dos modelos que acabam de ser mostrados na Alemanha. Entretanto, ainda não mencionou datas ou valores.
Fonte moto.com